Portal da Maturidade

Tudo sobre Maturidade, por Mariúza Pelloso Lima


Deixe um comentário

O Pássaro Dourado – Homenagem ao Dia das Mães

Gaivota_Sol_Maturidade          Havia um pássaro que tinha um belo sonho: chegar pertinho do Grande Sol!

          Iniciou sua jornada, unindo sempre muitas forças para alcançar sua meta, procurando parceiros pelo caminho, trocando experiências, e aprendeu a compreender as pessoas, a conhecer também seus sonhos.

          Voou muito, quando cansava , caminhava pela terra, dormiu nas árvores que bondosamente lhe abrigaram e alimentaram; descobriu as variedades de outros animais, de grandes e pequenos portes, mansos e ferozes, chegando até a sentir medo e insegurança algumas vezes. Aos poucos, aprendeu a respeitá-los e foi constatando que tudo era um enorme desafio e que dependia dele, vencê-lo.

          Seus companheiros pássaros ensinaram-no a voar em grupo, para economizar energia e a receber apoio, quando necessitasse de ajuda, como também, aprender a doar-se aos amigos.

          Nessa jornada, nem notou que o tempo fora passando, e num belo dia, percebeu que estava mais leve, plainava facilmente no céu, e se sentia muito feliz! Quando viu, o Grande Sol já estava banhando-o com seus raios luminosos, tornando-o um Pássaro Dourado. Chegara ao seu destino!

          Essa pequena história é um Caminho longo, de 97 anos, que minha mãe-pássaro percorreu em busca de seus sonhos, partilhados com a família, com muitos amigos, sempre entusiasmada!

          Desejo a todas as MÃES uma jornada cheia de Paz, Amor, Alegria, Entusiasmo!!  


Deixe um comentário

Projeto Acolhimento – Aprendendo a jogar

Jogar_maturidade          “Nossa jornada começa assim que compreendemos que a vida é crescimento, é adquirir conhecimentos e habilidades necessários para vivermos com mais plenitude e eficácia. A vida deve ser uma educação interminável. A vida torna-se uma jornada de descobertas, uma exploração de nosso potencial… Toda alegria e exuberância que experimentamos na vida é fruto de nossa disposição para correr riscos, de nossa abertura para a mudança e de nossa capacidade de criar o que desejamos para a nossa vida. Não importa se você já perdeu ou arriscou muito. Não importa o fracasso. O que importa é você ter aprendido com os erros e os fracassos.

          O que importa é você ter ido adiante, crescido com o resultado dessas experiências. A vida cheia de erros é muito mais rica, mais interessante e mais estimulante do que a vida que nunca arriscou e nem se posicionou com relação a nada. A sabedoria com a qual você constrói seu futuro é consequência das descobertas e das experiências da sua vida”. ( David Mc Nally)

          Às vezes nos cobramos tanto pelos nossos erros! Mas, eles representam nossas tentativas para mudar o que não nos satisfaz. Nem sempre ganhando, nem sempre perdendo, mas sempre aprendendo a ganhar.

          É a vida em movimento.

          Começamos a reunião com a leitura do texto acima e nos perguntando: O que aprendemos nessa jornada atual de nossas vidas?

          Relembramos todas as nossas ousadias de outrora. E hoje, onde estão essas iniciativas? Perderam-se no tempo?

          Tentamos identificar crenças, paradigmas que nos aprisionaram, nos paralisaram e criaram resistências, dificultando mudanças e flexibilidade para visualizar novas possibilidades aos conflitos do nosso cotidiano.

          Então, escolhemos algo que mais nos incomoda, aquilo que temos resistência para modificar e nos propusemos a enfrentar essa situação. Fizemos um pacto para aprender a jogar na vida.

          E terminamos a reunião ao som da música cantada pela Elis Regina – Aprendendo a jogar. E cantamos muito, compreendendo que não temos como segurar a vida, pois ela tem seu curso…


Deixe um comentário

Projeto Acolhimento – O milagre está em nossas mãos

Sinta a vida, viva-a, e não apenas pense sobre ela, então, todos os nossos sabores suculentos começam a fluir, sementes adormecidas se abrem, e o amor floresce. Este milagre está em nossas mãos. (Osho)

          Lemos e refletimos sobre o pensamento acima e depois fizemos o exercício do texto do Portal da Maturidade sobre a Primavera e nos perguntamos que sementes gostaríamos que florescessem em nós na primavera de 2013?

          Cada uma reviu mentalmente sua fase de vida, seus anseios, e escolheu uma qualidade: justificou sua escolha para o grupo e posteriormente, desenhou-a para que esse desenho lhe servisse de bússola indicando o Caminho.

          O desenho abaixo reflete a ESPERANÇA

 Desenho_Projeto_Acolhimento

 

          E o projeto continua …. até quinta-feira!

 


3 Comentários

A Escada dos Medos e do Desejos

Escada_Medo_Maturidade

Relativity – M. C. Escher

          Nós evoluímos através do desejo e do medo. Não há medo sem desejo escondido e não há desejo que não traga consigo um medo. O medo e o desejo estão sempre ligados.

          Temos medo do que desejamos e desejamos o que nos faz medo.

          Vamos imaginar nossa vida como uma escada. Estamos sempre subindo novos degraus, como uma representação de uma nova etapa, que nos traz um novo nível de consciência. Nossa visão se amplia conforme vamos subindo nessa escada.

          Algumas vezes paramos em algum degrau, voltamos para outros, sem cessar, e descobrimos que existem vários níveis de consciência. E em cada nível nós sentiremos medo e desejo. Medo de não conseguir, de fracassar, de não atingir o objetivo que tanto desejamos para nós. E sentimos que nos paralisamos em um degrau e nem tentamos outros.

          Para que consigamos caminhar na estrada da nossa vida é preciso soltar as amarras que nos prende: nossos medos, que , muitas vezes inconscientes, atuam nas nossas posturas, nas nossas emoções.

          Não é preciso ter medo de ter medo. O medo é normal e o fato de aceitá-lo já o torna menos poderoso. São muitos os medos que se manifestam em nós. Na maturidade, podemos citar alguns, como:

  • medo das doenças degenerativas: Alzheimer, Parkinson.
  • medo da demência.
  • medo de perdas de entes queridos.
  • medo de perder a autonomia física, financeira.
  • medo de não ser amado, de não ser acolhido e protegido.
  • medo de ser abandonado, da solidão.
  • medo de perder a virilidade.
  • medo de depressão.
  • medo de não saber lidar com as encruzilhadas da vida: aposentadoria (perda de status, às vezes de identidade e de rebaixamento financeiro), doenças como câncer, artrose, diabetes, cardiovasculares.
  • medo da morte.
  • medo de se arriscar.

          Esses medos que afloram na maturidade são advindos de todas as experiências vividas ao longa da vida, muitos remanescentes da infância, sufocados, mal resolvidos, inconscientes, como também devido a relacionamentos familiares conflitivos, ou perdas muito significativas.

          Há também os medos dos estigmas da velhice, reforçados pela nossa sociedade: a passagem da maturidade para a velhice como um caminho para a morte, doenças e solidão. E os novos medos, que estão surgindo de uma longevidade alcançada: como viver até os 100 anos com qualidade de vida? Como conviver com diferentes gerações e diferentes paradigmas culturais e sociais?

          Como podemos fazer para que nossos desejos sejam mais fortes do que nossos medos? Como alimentarmos e fortalecermos esses desejos para que nos impulsionem e não nos deixem desistir de nossos sonhos?

          Para isso, trabalhar com os medos na maturidade é ter oportunidade de evoluir mental, emocional e espiritualmente, elevando cada vez mais o nosso nível de consciência.

          Participar da Gerontologia Educacional é uma possibilidade para as pessoas na maturidade encontrarem soluções mais saudáveis e adequadas para conseguirem a vitória dos desejos sobre os medos, para viverem com bem menos medo das sombras que envolvem a maturidade.